Muitos consideram que só fazem Yoga quando vão para uma aula fazer as posturas (ásanas), entoar mantras, fazer exercícios respiratórios (pranayama) e meditar. Entretanto, quando consideramos o Yoga como uma forma de ver o mundo e sobretudo uma atitude diante da vida, podemos considerar que em todo momento podemos viver o Yoga. Se levarmos em conta os principais caminhos do yoga que apresentamos na sessão anterior, podemos dizer que quando lemos um livro que nos revela um aspecto da verdade ou quando refletimos sobre uma questão importante das nossas vidas, estamos praticando em sua essência Jnana Yoga. Quando cantamos uma música com o coração e estamos amando e perdoando os outros, estamos praticando em sua essência Bhakti Yoga. Quando nos entregamos integralmente ao cuidado de nossos entes queridos, outras pessoas de fora de nosso âmbito familiar e nos dispomos a agir para resolver aquilo que for necessário de forma sincera e desinteressada, estamos praticando Karma Yoga. Quando procuramos entender e integrar todos os aspectos de nosso ser e reconhecer que em tudo que existe há uma chama da divindade que brilha, estamos praticando em sua essência Tantra Yoga. Por fim, quando percebemos e trabalhamos nosso corpo, reconhecendo-o como uma morada do divino que deve ser cuidado e fortalecido para se manter saudável e vigoroso, em sua essência estamos praticando Hatha Yoga.

         Portanto, podemos ver que a essência do Yoga permeia várias atividades da vida que praticamos a todo momento, a diferença é que a disciplina do Yoga aproveitou os fatos da vida para criar uma ciência que se desenvolveu durante muitos anos através dos sábios e mestres. Estes usaram seus corpos e sua consciência como laboratório para compreender os mistérios da existência e permitiram que este conhecimento adquirido fosse passado de geração a geração através de um sistema chamado parampara, onde o guru ("aquele que dissipa a escuridão") passa seu conhecimento ao shishya ("discípulo") através de sua metodologia. Desta forma, o Yoga se caracteriza como uma disciplina que nos ajuda a viver, enfrentar e transcender os mistérios da vida, permitindo que ela possa ser vivida com alegria, reverência, beleza, leveza, fé, entrega e propósito em todos os seus momentos e não só quando estamos meditando ou no tapetinho de Yoga.

        Para viver uma vida de Yoga não é preciso ir para os Himalaias ou viver num templo espiritual; porém, por algum tempo, isso pode nos ajudar a aprofundarmos nosso trabalho interior. Mas o grande desafio é ser um yogui no mundo; pois, mais do que nunca, precisamos nos dias de hoje de yoguis atuando em todas as esferas da sociedade, levando harmonia, verdade e paz. Que as ferramentas do Yoga possam nos ajudar nessa jornada !